sábado, 8 de março de 2014

DIA 8 DE MARÇO - DIA INTERNACIONAL DA MULHER

Resolvi falar sobre uma série de mulheres que conseguiram se destacar, apesar do machismo da época.
Vou começar com uma das minhas favoritas: 

Émilie du Châtelet


"Gabrielle Émilie le Tonnelier de Breteuil, Marquesa de Châtelet, nasceu em 1706.

Seu pai, Bernard le Bovier de Fontenelle, enxergou na filha um grande talento e tratou de lhe dar uma educação excepcional para uma mulher daquela época: arranjou-lhe treinamentos em atividades físicas, como esgrima e equitação. Arrumou-lhe  tutores que ensinaram-lhe Matemática, Literatura e Ciência. Além disso, Bernard le Bovier – escritor de livros sobre Astronomia, introduziu-a nessa disciplina ainda em sua infância.

Sua mãe, Gabrielle-Anne de Froulay, criada e educada em um convento não aprovava as atividades  intelectuais da filha. 
Apesar disso, Émilie aos doze anos era fluente em grego, latim, italiano e alemão. 
A jovem também gostava de dançar, tocar cravo, cantar ópera, era atriz amadora e exímia jogadora de jogos de azar. 

Sua vida sentimental também bastante movimentada, incluindo um romance com Voltaire, que rendeu publicações de obras sobre Física e Matemática, e a construção de uma coleção de 21.000 obras, a qual era maior que as bibliotecas da maioria das universidades européias. A admiração de Voltaire por Émile era imensa. Ele declarou em uma carta que ela era “um grande homem cujo único defeito era ser uma mulher”.

Foi sem dúvida uma mulher brilhante, muito a frente do seu tempo.

Fonte: http://blogbcrp.blogspot.com.br/2013/01/mulheres-na-ciencia-emilie-du-chatelet.html
















Nenhum comentário: